16 de mar de 2011

35° dia - 15/03/2011

Esse final do quadro de conjuntivite ainda está me incomodando um bocado. Fica o olho meio aberto e uma sensação de sono, mas que não tem nada de sono, é só o olho pesado mesmo. Mas já está bem melhor, graças à ingestão de mais alimentos com proteínas e nutrientes que reenrgueram minha imunidade.

Quanto aos alimentos do dia, não chegam a ser algo que somados dariam uns 300 gramas, mas foi algo assim: Iogurte de morango no café, carne de panela com arroz integral, cenoura e beterraba (100g) no almoço, 3 mini-pães de queijo à tarde, um suco de maçã de caixinha da yakult mais tarde, um copo de iogurte de morango mais tarde ainda e uma fatia de queijo branco com chá de jantar..aaaa e tomei cerca de um litro de água durante o dia. Se pensarmos que eu não tive a bola de muco e não fiquei com fome o dia todo, podemos concluir que tomei água de menos... como sempre. Vergonha!
Por quê vergonha? Porque como vocês caros leitores devem ter escutado alguma vez na vida, água é essencial para o bom funcionamento do corpo humano, mas no pós operado de cirurgia bariátrica é bem pior a situação. Água, cerca de uns 3 litros por dia, é a diferença entre sua vesícula entrar em colapso ou não. Ou seja, ter que operar para retirar a vesicula porque não tomou água o suficiente e ela se entupiu de cálculos (pedras) e parou de funcionar. Eu sei que parece estranho, mas é isso o que acontece. "As mudanças na estrutura intestinal podem resultar no aumento do risco de formação de cálculo biliar e necessidade de remoção da vesícula biliar".
Lógico que além desde risco, existiam outros que aceitei correr em prol da cirurgia e de minha melhora. Seguem abaixo:

Riscos e Complicações da Cirurgia Bariátrica:
1) Náusea e vômito;
2) Fístula (vazamento do conteúdo do estômago ou do intestino para a cavidade do abdômen ou pele); O grampeamento do estômago leva consigo o risco de rompimento da linha do grampo, que pode resultar em vazamento e /ou infecção grave (Fístulas). Isso pode exigir uma hospitalização prolongada com tratamento antibiótico e /ou operações adicionais
3) O rompimento da linha do grampo também pode causar ganho de peso de longo prazo.
4) Embolia pulmonar (coágulo no pulmão);
5) Infecção;
6) Pneumonia;
7) Atelectasia (colabamentos da base dos pulmões);
8) Sangramentos;
9) Hérnias;
10) Distúrbios nutricionais;
11) Alterações psicológicas;
12) A banda ou anel aplicado pode causar complicações de obstrução ou perfuração, requerendo intervenção cirúrgica;
13) Há um risco de a bolsa esticar ou a banda ou anel romper ou migrar na saída da bolsa, permitindo assim que os pacientes comam excessivamente;
14) Como em todas as cirurgias para perda de peso, uma nova internação pode ser necessária para reposição de líquidos ou suporte nutricional, se houver vômito em excesso e a ingestão adequada de alimentos não puder ser mantida;
15) Inchaço abdominal e evacuação fétida ou gases podem ocorrer;
16) Monitoramento rigoroso e vitalício quanto à má nutrição de proteína, anemia e doença óssea é recomendado;
17) Em algumas técnicas é necessário um complemento vitamínico vitalício. Em geral, observou-se que se as instruções de alimentação e complemento vitamínico não forem rigorosamente seguidas, 25% dos pacientes desenvolverão problemas que precisarão de tratamento;
18) As mudanças na estrutura intestinal podem resultar no aumento do risco de formação de cálculo biliar e necessidade de remoção da vesícula biliar;
19) O redirecionamento dos sucos biliares e pancreáticos, bem como de outros sucos digestivos, para fora do estômago pode causar irritação intestinal e úlceras;
20) Quando o duodeno é desviado, a má absorção de ferro e cálcio pode resultar na redução do total de ferro do organismo e uma predisposição para anemia por deficiência de ferro;
21) Mulheres já em risco de osteoporose, que pode ocorrer após a menopausa, devem estar conscientes do potencial para perda intensificada de cálcio no osso;
22) Pode ocorrer anemia crônica, devido à deficiência de Vitamina B12. O problema geralmente pode ser tratado suplemento de B12;
23) Uma condição conhecida como, "síndrome do esvaziamento rápido" ou “síndrome de dumping”, pode ocorrer como resultado do rápido esvaziamento do conteúdo do estômago para o intestino delgado. Às vezes, isso é desencadeado quando muito açúcar ou grande quantidade de alimento é ingerido. Embora não seja considerado como um sério risco para sua saúde, os resultados podem ser muito desagradáveis e incluir náusea, fraqueza, transpiração, fragilidade e ocasionalmente diarréia, após as refeições. Alguns pacientes não conseguem comer qualquer forma de doces, após a cirurgia;
24) A parte desviada do estômago, duodeno e segmentos do intestino delgado não pode ser facilmente visualizada, usando um raios-x ou endoscopia, caso ocorram problemas como úlceras, hemorragias ou malignidade
25) Risco de morrer.

BOM, NÃO??

Nenhum comentário:

Postar um comentário