24 de nov de 2015

DUMPING e HIPOGLICEMIA

Qual a diferença entre Dumping e Hipoglicemia?

"Dump" em inglês significa "derrubar abruptamente".

Em termos médicos, segue ao final deste post uma explicação mais detalhada sobre o assunto.

Ocorre que percebi que além do dumping um outro efeito colateral da cirurgia vem me atingindo ultimamente, a hipoglicemia.

Hipoglicemia é a  baixa concentração de glicose no sangue e pode ocorrer quando o indivíduo fica muito tempo sem comer, ou mesmo após se alimentar. Pacientes que comem doce tem mais tendência a ter hipoglicemia.

Tontura, palidez, taquicardia, nervosismo, vômito e fome, são alguns dos principais sintomas da hipoglicemia. Por isso é importante lembrar que de três em três horas é necessário se alimentar, e o  consumo de açúcares, como doces, confeitos, devem ser evitados também.

Meu médico já havia me aconselhado que uma vez que esteja com hipoglicemia, o ideal é tomar sucos sem açúcar ou consumir frutas (para mim MAÇÃ é o melhor remédio, inclusive para combater dumping), ao invés de ingerir doces, o que proporcionaria a ter novas hipoglicemias no futuro. Os sucos contêm frutose que é um tipo de açúcar que pode ajudar bastante neste caso.

A dificuldade está em diferenciar Dumping de Hipoglicemia Tardia, já que ambas ocorrem após 3 horas das refeições.

Na dúvida, como uma fruta, já que outros tipos de alimento podem elevar a taxa de glicose muito rapidamente, derrubando-a em seguida, gerando outro dumping. Não tem fruta à mão? Já passei por isso, e resolvo com pouco carboidrato (bolacha, pão, etc) e muito devagar, mas devagar mesmo e mastigando muito.



EXPLICAÇÃO MÉDICA DO DUMPING:
"A Síndrome de Dumping, também é chamada de "esvaziamento gástrico rápido", ocorre quando a parte inferior do intestino delgado (jejuno) enche-se rapidamente com alimento não digerido no estômago, causando desagradáveis efeitos digestivos. A Síndrome de Dumping também pode ser desencadeada em pacientes submetidos à cirurgia bariátrica devido ao consumo de carboidratos simples (açúcar, balas e doces) ou carboidratos com alto índice glicêmico.
Tipos de Síndrome de Dumping
Há duas variantes da Síndrome de Dumping: precoce e tardia. A Síndrome de Dumping precoce normalmente começa durante ou imediatamente após uma refeição. Os primeiros sintomas da Síndrome de Dumping são: cólicas abdominais, inchaço, palpitações, náuseas, vômitos, inchaço, diarreia e falta de ar. Em contrapartida, a Síndrome de Dumping tardia ocorre normalmente entre uma e três horas após a ingestão de alimento. Os sintomas da Síndrome de Dumping tardia incluem: tonturas, fraqueza e fadiga.
O que causa a Síndrome de Dumping?
A cirurgia bariátrica é a principal causa da Síndrome de Dumping, porque ele altera a anatomia e o funcionamento digestivo normal do estômago, e também (no caso de bypass gástrico), do intestino delgado. Ela também pode reduzir a quantidade de sucos digestivos do estômago e do pâncreas.
Tratamento da Síndrome de Dumping
Pacientes que sofrem de Síndrome de Dumping precisam mudar os seus hábitos alimentares: consumir várias pequenas refeições por dia, de preferência, incluindo alimentos que são mais pobres em carboidratos, especialmente os açúcares refinados. Além disso, eles não devem beber líquidos com a comida. Por último, os doentes devem assegurar que todos os alimentos sejam mastigados completamente.
Síndrome de Dumping é um indicador de má alimentação após a cirurgia bariátrica
Síndrome de Dumping não acarreta um grande risco para a saúde. Pelo contrário, é um indicador que os pacientes submetidos à cirurgia bariátrica estão comendo em excesso ou muito rápido ou ainda, ingerindo alimentos ricos em açúcares. Na prática, a maioria dos pacientes submetidos à cirurgia bariátrica não apresentam mais do que dois ou três episódios graves de Síndrome de Dumping.
Autor: Dr. Tufi Dippe Júnior - Cardiologista de Curitiba - CRM/PR 13700"

PROBLEMAS COM SEU PLANO DE SAÚDE: LHE AJUDO GRATUITAMENTE, COM INFORMAÇÕES E NÃO VENDENDO PLANO. ACESSE: